sábado, 17 de abril de 2010

Ocaso dos acasos...


O crepúsculo em meio a solidão do mar é encantador.
Raras são as oportunidades da vida em que podemos parar e contemplar o magnífico entardecer, em algum lugar distante da (in)civilização.


Numa viagem recente de navio, até a Ilha da Trindade, o ponto mais oriental do Brasil, a 1200 km da costa, não perdi a chance de ir ao convés e apreciar o deslumbramento do ocaso. E fiz isso durante os nove dias em que estive embarcado. As fotos deste post são instantes daquelas paisagens mágicas pintadas pelo Criador, no meio do Oceano Atlântico. Um espetáculo seleto para poucos observadores naquele local e momento.



4 comentários:

  1. Linda poesia tanto a da imagem quanto a do texto. bjs

    ResponderExcluir
  2. Olá Pauta Cifrada!,PARABÉNS gostei da poesia que está impregnada de inspiração do momento. O nosso J.C.Braum decerto sentenciaria mais ou menos assim: "Poeta é Poeta em qualquer lugar,/no campo, na cidade e sobre as onda do mar,/e até na Ilha da Trindade",Eheheheh...Beijão

    ResponderExcluir
  3. Que lindo Marcelo! Saudades de vocês dois!
    bjs,
    Gabi e cia.

    ResponderExcluir