sábado, 14 de novembro de 2009

300 vinis





- É...  Nem sempre o legal é justo!
           
Admitiu o alto executivo de uma associação de companhias do setor fonográfico após ouvir o relato que fiz a respeito da “justificativa lógica” de um amigo, que realiza downloads, sem dó nem piedade, de músicas da internet através de programas compartilhadores de arquivos como E-mule, Limewire e similares. Legislação recente considera esse tipo de atitude um crime contra a propriedade imaterial, sujeita a pena de quatro anos de cadeia para o infrator.  O tal executivo era meu entrevistado numa reportagem de TV sobre os prejuízos das gravadoras diante da concorrência da internet. 


Relatei no bate-papo que, certamente esse amigo, dono da "justificativa lógica", não apóia nem defende as quadrilhas formadas por gente acima de qualquer suspeita, que enriquece com a fabricação e distribuição ilegal de cd´s e dvd´s piratas. Ele não é do atacado nem do varejo. Apenas alega ter direito a baixar 3300 músicas da rede, gratuitamente, para consumo próprio. 


A explicação dele é até convincente. Durante a juventude, esse meu camarada investiu na compra de cerca de 300 discos de vinil. Foi durante os anos oitenta, antes da revolução do CD digital. Lembro que na época eu trabalhava numa rádio FM como locutor e operador de som. Tanto eu, quanto meus colegas de profissão, "enchíamos a boca" durante o programa ao vivo, para ressaltar a então façanha da rádio em adquirir um novíssimo aparelho tocador de CD, do tamanho de um videocassete. Moderna tecnologia a serviço dos ouvidos mais exigentes da grande Santa Maria e região:


- Ouvimos em "leiser” na 105 FM...  Eri Claptoooon... Bad Loooove!  42 graus na Boca do Monte!!!  
            
Pois bem... Esse parceiro a quem me refiro adorava novelas de TV e comprava todos os "bolachões" com as trilhas sonoras, lançados pela Som Livre. Nós, locutores da rádio, apreciadores de rock, dávamos um desconto para a figura, afinal, era também um fã caloroso de nossos programas.  O tempo passou. A rádio foi vendida. Os locutores e ouvintes se dissiparam por todo o Brasil. Há alguns anos, reencontrei o antigo fã na praia de Copacabana. Pareceu-me incrível, mas ele tinha vindo do Rio Grande do Sul para assistir ao show dos Rolling Stones. Logo ele, um ”noveleiro”!
           
Colocamos a conversa em dia. Ele me revelou que havia montado um “sebo” de discos em Porto Alegre. Compra, venda, troca de raridades. Perguntei se ainda gostava de novela, e me deu uma resposta fascinante. Transformara o investimento do acervo de 300 discos de novelas em uma espécie de “lastro” utilizado como moeda imaginária na transação de arquivos mp3 através da internet. Na explicação dele, um crédito antigo, na conta da Som Livre.  Uma moeda podre daquelas usadas pelo governo para pagar dívidas e que ele resgatara.


- Como assim? Perguntei.
-É o seguinte, tchê... Cada um daqueles discos de vinil tinha doze músicas. Só a primeira faixa do “lado A” prestava. O resto podia-se jogar fora. Propaganda enganosa. Que nem caixinha de morangos, com os graúdos em cima e os minúsculos ou podres embaixo. Como paguei pelo disco inteiro e só consumi uma música, acredito que a gravadora tem uma dívida ética comigo de 11 músicas por vinil. Já que possuo 300 discos de novelas, o saldo devedor é de 3300 músicas. Portanto, são direitos adquiridos! E se contestarem, denuncio no Procon!


- Ri comedidamente. Tentei fabricar algum argumento para não desencorajar o amigo recém revisto, mas os acordes básicos do Keith Richards na Telecaster, em Satisfaction, me desviaram a atenção.  Naquele mundaréu de gente acabei por me perder do noveleiro amigo. Lamentável. Nem perguntei o telefone. Talvez nos encontremos nos sites de relacionamento da internet. Terei alegria em confidenciar que após nossa conversa, já estou contabilizando o quanto poderei angariar com os vinis empoeirados que adquiri com o minguado salário de radialista e hibernavam num baú antigo. Será que eu não teria algum de novela nesse tesouro???  

3 comentários:

  1. Muito bom!!!!! Como tenho vários vinis de novelas antigas armazenados e empoeirados já vou começar a fazer as contas...bjs

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. Adorei a história!!!! Muito bom. E pensar que eu dei graças a Deus quando o ex levou aquela tralheira toda que só me ocupava espaço...rsrsr.
    Beijos (tb pra Gianne ali no alto.)

    ResponderExcluir